25 de jun de 2013

Promoção - A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra


Oi!

Ainda temos a promoção de Dia dos Namorados no Ar - participe! - mas, resolvi colocar a promoção de A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra no ar porque gostei do livro! Sim, só por esse motivo. hahaha <3333


Importante:
  • É necessário endereço de entrega no Brasil;
  • Todas as informações requisitadas serão conferidas, e quem não estiver seguindo todas as regras será desclassificado;
  • O sorteio será feito pelo Rafflecopter e o resultado será divulgado no blog, em até 3 dias após o término da promoção;
  • O ganhador tem um prazo de 72 horas após a divulgação do resultado para entrar em contato com o blog e enviar o endereço;
  • Os prêmios serão enviados para os ganhadores no prazo de 30 dias;
  • Não nos responsabilizamos por extravios cometidos pelos Correios.

Resultado - Promoção: O Elemental


Oi!

Finalmente! Depois de um longo, longo, longo tempo essa promoção terminou! E quem está pronto para a de 600? \ô/

Ok, sem mais delongas, aqui o ganhador da promoção é:


Parabéns! *\o/* Enviarei o e-mail assim que finalizar essa postagem. :)

E se você não ganhou, não precisa ficar triste! Ainda hoje tem promoção nova!


24 de jun de 2013

Resenha - Livraria 24 horas do Mr. Penumbra

A Livraria 24 Horas do 
Mr. Penumbra

Robin Sloan

Editora: Novo Conceito
Ano de Publicação: 2013
Tradutor: Edmundo Barreiros
ISBN: 9788581630236
N° de páginas: 288
Comprar: Fnac/Siciliano

Nota: ♥♥♥♥ (3,5/5)

Sinopse:
A recessão econômica obriga Clay Jannon, um web-designer desempregado, a aceitar trabalho em uma livraria 24 horas. A livraria do Mr. Penumbra — um homenzinho estranho com cara de gnomo.
Tão singular quanto seu proprietário é a livraria onde só um pequeno grupo de clientes aparece. E sempre que aparece é para se enfurnar, junto do proprietário, nos cantos mais obscuros da loja, e apreciar um misterioso conjunto de livros a que Clay Jannon foi proibido de ler. Mas Jannon é curioso…

Imagine-se vivendo em um mundo onde os livros são coisa do passado. Difícil, não? Mas é o que está acontecendo nesse momento, com o nosso mundo. Cada dia que se passa os livros de papel são substituídos pelos seus primos, os e-books. Pois é, bem nesse momento, o que parece quase improvável acontece com Clay, ele consegue um emprego em uma livraria. E essa é praticamente abandonada. Praticamente.

E essa, além de meio esquecida, do lado de uma boate, em uma rua bem deserta, é um tanto quanto estranha. E o que dizer de seus clientes, principalmente os que Clay atende, das 22 às 6 horas da manhã? Eles estão sempre esbaforidos e aflitos para pegarem o próximo livro. E o atendente não faz a mínima ideia do motivo.

Durante uma dessas madrugadas, quase sem trabalho nenhum, uma garota linda e diferente de todos os outros clientes entra na livraria meio que por acaso. Seu nome é Kat, e ela trabalha no Google. É, esse mesmo! Aí começa a ligação entre o passado e o futuro da tecnologia. Os livros, que antes eram o que mais havia de moderno, com o que há de mais moderno hoje, computadores. A partir do primeiro "encontro" de Clay com Kat a história se desenrola.

Levando em conta o mistério por trás da livraria e o próprio Penumbra, que por sinal é o meu personagem favorito, o história se desenvolve bem. Clay é um personagem sarcástico e se você prestar um atenção em suas piadas, perceberá aquele toque geek por trás de tudo. E por mais que Penumbra seja <3, Clay também garantiu seu lugar no meu coração por ser assim. *-*

"Depois disso, o livro vai desaparecer, como desaparecem todos os livros em sua mente. Mas espero que se lembre disso:
Um homem caminhando apressado por uma rua escura e deserta. Passos rápidos e respiração ofegante, maravilhado e ávido. Um sino acima de uma porta e seu tilintar. Um atendente e uma escada e uma luz dourada quente, e então: o livro exatamente certo, no tempo exatamente certo."
Página 288.

A leitura flui bem rápido, e a vontade de saber o final faz com que se leia mais rápido ainda - sendo óbvia. Sério, quando percebi o livro já tinha acabado. Por mais que o autor tenha fechado a história dos personagens principais sem a necessidade de mais livros, a participação de alguns personagens secundários poderia ser maior. Citar o nome de um deles é, com toda certeza um spoiler, mas ele poderia ter participado mais. #justsaying

Além do fato citado acima, outra coisa que me incomodou um pouco foi o final. Até aquele momento eu estava gostando do rumo da história, de todo o mistério por trás da livraria e algo maior por trás até mesmo de Penumbra, mas o que o autor escolheu não me convenceu. Talvez, se ele tivesse escolhido outra finalização, uma mais épica, digamos, teria ficado melhor. Por mais que tenha se encaixado com os acontecimentos anteriores... Apenas não me agradou. :(

Apesar disso é uma leitura válida. Se não sabe o que pensar sobre A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra, leia e tire suas próprias conclusões. Ah, um passarinho me contou que em breve tem sorteio do livro por aqui, então se você se interessou, fique ligado. :)


12 de jun de 2013

Promoção Dia dos Namorados




Então é dia dos namorados, estão animados? Deveriam, pois a data é especial e ninguém aqui quer deixar passar em branco. E você imaginaria um jeito melhor para comemorar do com sorteio de vários livros para três sortudos apaixonados (por literatura!)? Nem nós! Por isso seis blogueiros se uniram e vão sortear os seguintes romances:

O primeiro sorteado pode escolher três títulos, o segundo escolhe outros dois e o terceiro sortudo fica com o restante. Lembrando que é obrigatório ter endereço de entrega no Brasil, seguir os seis blogs participantes, e comentar nesse post, para ter participação validada.

Importante:

  • É necessário endereço de entrega no Brasil;
  • Todas as informações requisitadas serão conferidas, e quem não estiver seguindo todas as regras será desclassificado;
  • O sorteio será feito pelo Rafflecopter e o resultado será divulgado no blog, em até 3 dias após o término da promoção;
  • O ganhador tem um prazo de 72 horas após a divulgação do resultado para entrar em contato com o blog e enviar o endereço;
  • Os prêmios serão enviados para os ganhadores no prazo de 30 dias;
  • Não nos responsabilizamos por extravios cometidos pelos Correios.



Boa sorte! :)


10 de jun de 2013

Resenha - Fallen

Fallen

Lauren Kate

Editora: Galera Record
Ano de Publicação: 2011
Tradutor: Alda Lima
ISBN: 9788501089625
N° de páginas: 401
Comprar: Fnac/Martin Fontes Paulista
Nota: ♥♥♥♥ (4,5/5)

Sinopse: 

Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigori. Solitário e enigmático, ele chama a atenção de Luce logo no seu primeiro dia de aula no internato. A mudança de escola foi difícil para a jovem, mas encontrar Daniel parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado: um incêndio misterioso levou Luce até ali. Irremediavelmente atraída por Daniel, ela quer descobrir qual é o segredo que ele precisa tanto esconder... mesmo que isso a aproxime da morte.

Sinto até uma vergonha básica de admitir isso, mas até o momento eu não tinha lido nenhum livro de anjos, muito menos de anjos caídos. E que arrependimento, diga-se de passagem...

Claro, não existe uma pessoa sã nessa terra que não se interesse primeiro pelas capas dos livros dessa série. Depois é que pensamos em procurar saber sobre a sinopse/plot, mas aí já é tarde demais: nós compramos o livro. 

Anyway... Ignorando o fato de que sou uma bookaholic meio - leia-se muito - surtada, Fallen realmente tem uma proposta, digamos, interessante - por falta de palavra melhor. Não é inovadora, afinal, quem não se lembra dos anjos tão citados na Bíblia e, até mesmo no Sítio do Pica-pau Amarelo? Pois é, mas esses não são simples anjos, são anjos caídos.

Mas, antes de falarmos sobre os nossos queridos personagens sobrenaturais, deixe-me introduzir a história. Luce era uma garota comum, mais ou menos, ou sim, se você considera ver sombras que se parecem tentáculos negros comum, até que de uma maneira inexplicável, seu "namorado" morre - deixando para trás um corpo torrado e Luce com um cabelo bastante chamuscado - e como apenas a protagonista estava com ele e não se lembra de nada sobre o acidente, ela é considerada culpada. Sua única alternativa é ir parar em um colégio interno, construído antes da guerra - não me lembro qual... Sorry! - e bastante sinistro.

Lá, Luce conhece Ariane, uma garota um tanto pirada, que deixa qualquer um cortar seus cabelos; Cam, um garoto sedutor e um tanto engraçado; e Penn, a única garota que não está ali obrigada por um juiz ou por um agente de condicional. Além de ter um encontro bastante desagradável com Daniel Grigori, onde o mesmo lhe mostra o dedo do meio por nenhum motivo aparente.

Quando vi pela primeira vez sobre o que se tratava - como se o título já não fosse sugestivo demais... -, fiquei curiosa, mas confesso que tinha imaginado anjos caídos um pouco diferentes dos que foram narrados. (Se você também pensou em asas pretas bate aqui! o/\o)

Sendo esse o primeiro livro de uma série composta por mais outros três, Fallen é uma boa introdução, mas não temos mais do que isso. Muita coisa fica vaga, e é esse o propósito da Lauren Kate: instigar o leitor a continuar lendo a série. Ou pelo menos, ela conseguiu isso comigo. 

O mistério por trás do que aconteceu com Luce e Trevor vai se revelando aos poucos. No começo temos apenas a vaga noção de que algo aconteceu, e não foi nada bom. A medida que Luce se recorda do seu passado - basicamente coisas que outras pessoas lhe contaram - podemos entender o motivo de sua ida para o internato. É claro, ainda há muito para se explorar sobre esse assunto também.

Além disso, temos o grande mistério envolvendo Luce e Daniel, e claro, alguns outros personagens que serão revelados quase no final. Alguma coisa dá para se deduzir, mas uma grata surpresa compensa as coisas que são mais óbvias. 

E por falar em surpresa... Que final, hein? As pontas para os próximos livros estão ali, mas a finalização não poderia ser melhor. Sério! Tantas coisas aconteceram, e faltavam poucas páginas - menos de 50 -, me deu aquele desespero básico de não dar tempo de finalizar direito, mas deu tudo certo! \o/

Se você tem intenção ler a série toda, se joga em Fallen. Mas, se por algum motivo, você só pretende ler o primeiro, só digo uma coisa: você ficará um tanto quanto frustrado...


5 de jun de 2013

Entre aspas: Timidamente apaixonada



Quão clichê e absurdamente meloso isso poderia ser? 

Sério mesmo? Justo eu, a típica garota tímida, por trás de uma franja longa demais para ser usada reta e curta demais para ser apenas outra camada do cabelo; óculos escondendo olhos grandes e escuros... Enfim, típica demais. Apaixonada.

E como se já não fosse difícil o suficiente se apaixonar quando se é tímida, ele é nada mais, nada menos que o também típico garoto popular. É, entendeu onde ao parte clichê se encaixa aqui?

Ele é mais alto que eu - algo não lá muito difícil -, sua pele é branca, mas um pouco bronzeada de sol, não é magro, mas não é forte, apenas o suficiente para que seus braços saltem aos olhos quando ele os cruza na frente do peito. Seu cabelo de um castanho quase preto, curto e arrumado de forma descuidada.

Não poderia ser algo mais errado e ao mesmo tempo mais perfeito. Porque justo eu, a garota que quase nunca fala com ninguém, estaria apaixonada justamente pelo garoto que menos conheço em toda a sala de aula. Não que meu conhecimento no quesito garotos seja amplo...

Na aula mais chata do dia, a de matemática, em que o professor não se cansa de falar sobre funções e gráficos, a única coisa que consigo pensar é em como seus braços são perfeitos, mas seriam mais ainda se estivem ao meu redor. E para a minha surpresa, eis que ninguém menos do que ele se levanta para jogar o que quer que seja na lata de lixo.

Por favor, passe longe da minha mesa! Por favor, passe longe da minha... Droga! E agora? O que eu faço? Disfarço? Olho descaradamente? Sorrio? Viro a cara e a afundo nos livros?

Droga de novo! Por que ele tinha que olhar justo na minha direção e me pegar basicamente derretendo do meu lugar na segunda fila? Por que?!?!

Seja forte! É apenas mais um garoto comum, em um dia comum. Com um corpo fora do comum. E, ah... Que visão! Mais que porcaria! Não consigo me imaginar mais boba e sem graça do que nesse momento! 

Ai. Meu. Deus! Ele está sorrindo para mim! O que eu faço? O QUE EU FAÇO? Sorria de volta, sua idiota! Isso foi mais para uma careta meio retorcida. Agora ele pensa que eu tenho problemas mentais, faciais ou quem sabe, os dois.

E a aula continua, em sua interminável chatice costumeira. Pego a caneta dentro do estojo e começo a mordiscar a ponta da tampa. Estou nervosa. Agora que eu não consigo prestar atenção nessa aula mesmo. O que esse gráfico no quadro tem a ver com esse resultado ali? Estou definitivamente perdida! Só me resta anotar o que o professor passou no quadro e rezar para conseguir aprender isso sozinha.

Desisto de copiar a matéria quando noto que estou tremendo demais para segurar a caneta com firmeza o suficiente. Bem nesse momento uma bolinha de papel bate na beirada da mesa e para ao lado da minha mochila no chão. De onde isso veio?

Viro para trás e o vejo. Ele me vê olhando em sua direção e me dá uma piscadela. Então foi de lá que a bolinha veio...

Decido apanhar o papel amassado do chão antes que o professor veja e resolva interceptá-lo. Abro-a e o que vejo me faz sorrir e perder o fôlego ao mesmo tempo:

"Você está linda hoje! :) Beijos, ele"

Não consegui deixar de me virar novamente para trás, dessa vez com um sorriso nos lábios. Ele, parecia esperar alguma reação, porque quando me virei, lá estava ele me encarando. Corei e continuei sorrindo, recebi um sorriso e outra piscadela de volta.

Pronto, se minha concentração se resumia a praticamente nula, agora não havia restado nada. Mas, para minha sorte, restavam apenas mais cinco minutos de tortura matemática. Apenas cinco minutos para me preparar para o que quer que ele fosse fazer a seguir.

Finalmente o sinal que nos liberava para o final de semana tocou. Livre finalmente, mas eu não me importaria de ter mais alguns minutos para me preparar psicologicamente.

Guardei meus cadernos e livros bem vagarosamente, e quando me dei conta, restavam apenas um grupo isolado de alunos, eu e ele, entre mim e os retardatários que ficaram conversando. Assim que o notei, dediquei uma atenção mais do que necessária a fechar o zíper do estojo de lápis e o colocar dentro da bolsa.

Pela primeira vez desde que o conheci, ele parece nervoso. Não, nervoso não, hesitante. 

Quando fechei o zíper da bolsa, não havia muito o que fazer a não ser seguir em direção a porta. Nesse momento ele tomou sua decisão, enquanto os outros alunos saiam, ele se juntou a mim, com passos bem vagarosos. 

- Eu disse a verdade quando joguei o papel para você. - começou, enquanto tirava do meu rosto uma mecha da trança que se soltou. 

- Sério? Obrigada. - corando, olhei para baixo. O que mais eu poderia dizer?

- Então... Eu percebi que você estava lendo um livro que sairá o filme agora. Que tal se fossemos assistir nesse fim de semana? - ele me convidou.

- Ah, claro. - e dizendo isso abri minha bolsa, a procura de uma caneta - Esse é meu número, me mande uma mensagem para combinarmos. 

Peguei sua mão para escrever o número. Ela era quente e macia. 

Não havia mais nada a ser dito, então eu tomei a decisão e disse:

- Tchau, espero a sua mensagem.

- Tchau.

Mal escutei a despedida e me dirigi à porta. Não sei de onde veio essa coragem toda, mas ela tinha acabado assim que dei o primeiro passo para trás. Sai a passos apressados pelo corredor. Seja o que for que tenha acontecido naquela sala, era uma oportunidade com o garoto dos meus sonhos. E não a deixaria escapar.