15 de jul de 2013

Resenha - Bruxos e Bruxas

Bruxos e Bruxas

James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Editora: Novo Conceito
Ano de Publicação: 2013
Tradutor: Ana Paula Corradini
ISBN: 9788581632216
N° de páginas: 287
Comprar: Extra/Casas Bahia
Nota: ♥♥♥♥♥ (3/5)

Sinopse:

No meio da noite, os irmãos Allgood, Whit e Wisty, foram arrancados de sua casa, acusados de bruxaria e jogados em uma prisão. Milhares de outros jovens como eles também foram sequestrados, acusados e presos. Outros tantos estão desaparecidos.
O destino destes jovens é desconhecido, mas assim é o mundo sob o regime da Nova Ordem, um governo opressor que acredita que todos os menores de dezoito anos são naturalmente suspeitos de conspiração.
E o pior ainda está por vir, porque O Único Que É O Único não poupará esforços para acabar com a vida e a liberdade, com os livros e a música, com a arte e a magia, nem para extirpar tudo que tenha a ver com a vida de um adolescente normal.
Caberá aos irmãos, Whit e Wisty, lutar contra esta terrível realidade que não está nada longe de nós.
Com tantos YA sobrenaturais esperando na minha fila de leitura, Bruxos e Bruxas se sobressaiu, principalmente pelo marketing que a editora planejou. Se para alguns foi enfadonho e repetitivo, bem... Essa definitivamente não foi minha opinião. Apesar de já saber de qual livro se tratava, a campanha em torno do lançamento foi instigante ao ponto de fazer esse livro pular várias posições na fila.

A proposta dos autores é inovadora, misturando dois temas já batidos e criando algo novo. Bruxaria e distopia, quem poderia imaginar? O problema foi que, ao tentar focar em dois assuntos completamente diferentes, ambos não se desenvolveram totalmente. Talvez por ser um primeiro de livro de uma série, mas considerando apenas esse, isoladamente, não foi tudo que eu imaginava.

Os irmãos Whit e Wisty viviam uma vida completamente normal e não percebiam o quanto o mundo lá fora se alterava. Pessoas sumiam, as coisas estavam diferentes e eles nem notavam... (Jornal e fofoca com o vizinho pra que, né?) E de uma hora para outra, os dois estão sendo levados de casa, no meio da noite, e de pijamas.

De repente, os irmãos Allgood se veem longe de casa, dos amigos - ou quase isso -, da escola, de tudo. São transportados para um mundo novo e de uma hora para outra descobrem que são bruxos. Uma mudança e tanto, não? E em meio a descobertas e mudanças a história começa a se desenrolar.

"Eu, a Wisty normal de todo santo dia, sou uma bruxa. Whit, barriga de tanquinho, é um bruxo. Não sabemos exatamente como controlar nossos poderes."
Página 173.
Quando se tem dois personagens principais e a narrativa é em primeira pessoa o mais certo a se fazer é criar dois pontos de vista para a narrativa; e em Bruxos e Bruxas, realmente funcionou, porque Whit e Wisty são bem diferentes, principalmente dos clichês que encontramos na maioria dos YA sobrenaturais.

Sempre encontramos uma mocinha indefesa e um herói para salvar a pátria, certo? Mas nesse livro Whit, o garoto, é o elo fraco da corrente. Pouco tempo antes de serem sequestrados, sua namorada desapareceu e ele está com o coração partido. E para equilibrar a balança, Wisty não é do tipo mocinha chorona, pelo contrário. Não que esteja feliz com sua situação, mas pelo menos se adapta a ela.

Esse foi o primeiro livro do James Patterson que li. Não sou muito fã de romances policiais, então... Mas gostei da forma como ele escreve - mesmo combinado com uma autora praticamente esquecida, coitada. Os capítulos curtos fazem que a leitura flua rapidamente. Consegui ler em dois dias, mas teria lido no mesmo dia se tivesse começado a ler mais cedo.

Resumindo, Bruxos e Bruxas foi inovador, mas se perdeu um pouco tentando inovar demais. Talvez os livros seguintes se desenvolvam melhor e conquistem de vez o leitor. Se vale à pena? Sim, vale, mas se tem o gosto parecido com o meu, não vá com tanta expectativa, e provavelmente você gostará mais do que eu.


Um comentário:

  1. Estou com um pé atras com esse livro, sabe quando que uma coisa as nao sabe se deve ou nao, pois é a minha relaçao com esse livro. estou muito curiosa por conta da imensa divulgação que a editora fez encima deste livro, porem nao se se ele é realmente bom. Achei a diagramação e o kit dele lindo.

    ResponderExcluir