22 de mar de 2013

Playlist da semana


Hey!

Mais uma semana se foi - finalmente. O que quer dizer que hoje tem playlist para vocês! <3333




Hurricane - Bridgit Mendler: Essa é uma música acrescentada de última hora pelo simples motivo de ser ótima. Não gosto muito das músicas da Bridgit, mas adorei essa. Tem alguns leves toques - bem sutis - de hip hop e a letra dá uma vontade de sair dançando por aí. <3



With Ur Love - Cher Lloyd: Nunca tinha escutado nenhuma música da Cher, mas adorei essa. O clipe começa com essa coisa fofinha de conto de fadas, mas não fica só aí. Além de figurinos lindos de morrer, a música é tããããão legal! :)



Awakening - Yellowcard: Ai, como boybands são amor! Tudo bem, os integrantes dessa não são lá essas coisas no quesito beleza, mas Awakening é definitivamente uma música muiiiito boa. O único problema é esse clipe. A história por trás é até legalzinha, mas o jeito que foi feito... Não ficou muito legal não!



Supremacy - Muse: Sou fã de Muse desde que escutei Supermassive Black Hole, mas é muito raro que eu vá procurar músicas novas deles. Desde de que eu resolvi começar com essa coluna acabei virando uma frenética e lá estava Supremacy me esperando. Foi amor à primeira vista! <3



Pompeii - Bastille: Da mesma gravadora de 30 Seconds To Mars, Bastille tem uma voz muito perfeita e apesar de o clipe ser meio nonsense, a música é ótima e vale muito a pena! <33


Lançamentos de Março: Editora Arqueiro

Hey!

Desculpem pelo atraso na postagem, mas essa semana foi beeem atribulada. Mas, com o feriado vou agendar muiiiitos posts para vocês! \o/

E esses são os lançamentos da Editora Arqueiro em março. Cliquem nas capas e serão direcionados para a página no Skoob:

Uma curva na estrada
Nicholas Sparks

A vida do subxerife Miles Ryan parecia ter chegado ao fim no dia em que sua esposa morreu. Missy tinha sido seu primeiro amor, a namorada de escola que se tornara a companheira de todos os momentos, a mulher sensual que se mostrara uma mãe carinhosa. Uma noite Missy saiu para correr e não voltou. Tinha sido atropelada numa rua perto de casa. As investigações da polícia nada revelaram. Para Miles, esse fato é duplamente doloroso: além de enfrentar o sofrimento de perder a esposa, ele se culpa por não ter descoberto o motorista que a atropelou e fugiu sem prestar socorro. Dois anos depois, ele ainda anseia levar o criminoso à justiça. É quando conhece Sarah Andrews. Professora de seu filho, Jonah, ela se mudou de Baltimore para New Bern na expectativa de refazer sua vida após o divórcio. Sarah logo percebe a tristeza nos olhos do aluno e, em seguida, nos do pai dele. Sarah e Miles começam a se aproximar e, em pouco tempo, estão rindo juntos e apaixonados. Mas nenhum dos dois tem ideia de que um segredo os une e os obrigará a tomar uma decisão difícil, que pode mudar suas vidas para sempre. Nesta obra, Nicholas Sparks escreve com incrível intensidade sobre as difíceis reviravoltas da vida e sua incomparável doçura. Um livro sobre as imperfeições do ser humano, os erros que todos cometemos e a alegria que experimentamos quando nos permitimos amar. 

Juntos para sempre
Walcyr Carrasco

Alan é um advogado bem-sucedido de São Paulo e leva uma vida aparentemente perfeita: mora em uma cobertura luxuosa, namora uma mulher lindíssima e pode ter tudo o que quiser. Mas todas as noites é atormentado por um sonho que o leva a um amor de outra vida. Assiste à morte na fogueira de uma jovem. E nesse momento promete: “-Eu me amarei para sempre!”. Quando desperta o sonho fica em sua cabeça. Envolvido por esse mistério, Alan vive dias de angustia. Tudo muda quando ele viaja para uma cidade do interior e encontra uma moça semelhante à que aparece em seu sonho. A profunda emoção que sente ao vê-la confirma que é a mesma pessoa. Essa é a primeira de várias evidências de que nada acontece por acaso. Mas, para seu espanto, a moça foge aterrorizada ao deparar com ele. Agora Alan precisa descobrir quem é essa mulher e qual é a ligação entre eles. Para isso, terá que rever sua existência e descobrir que as coisas realmente importantes não podem ser compradas. Auxiliado pela Terapia de Vidas Passadas, ele se entregará a uma árdua jornada de autoconhecimento. E entenderá que, embora o passado não possa se mudado, há uma nova vida para superar os erros e refazer os laços de amor, em busca de um futuro luminoso. Juntos para sempre é um livro cativante, escrito com a sensibilidade de Walcyr Carrasco, consagrado autor da TV Globo, conhecido por novelas como Alma gêmea, O cravo e a rosa e Chocolate com pimenta, todas campeãs de audiência. 

 Noite de tempestade
John Sandford


Numa noite quente em Minnesota, o investigador Virgil Flowers está na cama com uma de suas ex-mulheres quando recebe uma ligação do chefe. Um corpo foi encontrado em Stillwater e tudo leva a crer que se trata de mais uma vítima de uma série de assassinatos. Para evitar que o número de mortos aumente, Virgil precisa agir o quanto antes.
Ao chegar à cena do crime, ele fica intrigado: o assassino se dera o trabalho de enfiar um limão na boca do morto. Logo o investigador descobre que pelotões vietnamitas faziam isso com seus prisioneiros para que eles não falassem durante a execução.
Seguindo essa pista, Virgil vai atrás da solução para esse mistério. Quanto mais é pressionado, mais se envolve na investigação e precisa expandir sua rede de contatos. Ele vai contar com a ajuda de Mead Sinclair, um radical professor pró-Vietnã, e de Mai, sua atraente filha, mais interessada no detetive do que no caso.
Com sua escrita ágil e empolgante e personagens surpreendentes, John Sandford prende o leitor como poucos autores sabem fazer nesse segundo livro da série do investigador "Virgil Flowers".


18 de mar de 2013

Resenha - Yume

Yume

Kamile Girão

Editora: Dracaena
Ano de Publicação: 2011
ISBN: 9788564469433
N° de páginas: 361
Comprar: -
Nota: ♥♥♥♥(4/5)
Desafio: Desafio Realmente Desafiante 2013 - Item 13: Ler um livro com a capa entre bege e marrom.

Sinopse:
Por detrás das roupas surradas masculinas que costumava vestir, um mundo incrivelmente estranho se escondia. Nadia sabia que sua cabeça não era comum e que suas ideias divergiam do que era normal. Apenas ela conseguia ver o que não existia. Apenas ela era capaz de desenhar com perfeição um personagem visto em um sonho.
Guitarrista, estudante, filho, cético, objeto sexual de quem o quisesse. Ainda assim, Adrien não era feliz. Contudo, a vida monótona e libertina parecera ganhar um sentido especial quando estranhos sonhos se projetaram em sua mente e quando a missão aparentemente inimaginável lhe fora imposta: impedir que uma determinada garota chegasse ao Yume, o local proibido para meros humanos. 

Antes de mais nada, vocês precisam concordar comigo que a capa de Yume é linda de morrer! Ao vivo é ainda mais bonita. <3 Além disso a diagramação é muito bem feita e a revisão está muito boa.

Quando Yume foi lançado, em agosto de 2011 a primeira coisa que me chamou atenção foi a capa. E logo após ler a sinopse, fiquei encantada com a promessa livro, afinal o tema sonhos é muito pouco abordado na literatura, tanto nacional, quanto internacional. O que é algo inovador, mas um passo no escuro, não? Não existem muitos livros com o tema, não se sabe como o livro será recebido no meio literário, se os leitores gostam ou não desse tema... Enfim, você pode tanto conseguir caminhar bem, quanto tropeçar no primeiro momento. E Yume enquadra-se na primeira hipótese, felizmente. :)

Mesmo sendo um livro jovem-adulto - ya - sobrenatural, não é só mais um dentre tantos outros. É único da sua própria maneira, conquistando, principalmente pelo mundo paralelo criado pela autora - o Yume. Um mundo onde sonhos se tornam realidade e monstros, vampiros, íncubos, súcubos e mais uma infinidade de seres habitam, dividindo lugar com alguns poucos humanos.

Além de personagens bem trabalhados e uma narrativa fluida, a história cativa. Nadia, a protagonista, é uma garota um tanto quanto perdida no mundo. Sonhadora e tanto quanto pirada, ela vê coisas inexistentes e conversa com seres inanimados, como bichinhos de pelúcia (O problema é que eles respondem. o.O). Sua mãe é brasileira, e depois de se casar com um alemão, se muda para a Alemanha em busca de uma vida ao seu lado. Mas ele acaba morrendo no meio da história do Muro de Berlim e as duas ficam sozinhas, morando em um barraquinho no meio da favela, almoçando em um dia sem saber se terão algo para comer no outro.

Nadia tenta ajudar a mãe como pode, fazendo desenhos para vender por alguns euros. Mas mesmo assim, a situação continua complicada, e quando já se está na pindaíba, sempre aparece mais um problema para deixar o pobre ainda mais pobre, o dono da casa onde ambas moram resolve despejá-las. A única opção é quebrar o cofrinho e juntar todas as moedinhas para voltarem para o Brasil. O problema - porque sempre aparece mais um problema - é que, mesmo depois de juntar todos os trocados, o dinheiro só dá para uma passagem de avião. Quem vai? Obviamente Nadia.

Sua única esperança era um desenho que lhe fora encomendado. O pedido era bem simples: desenhar alguém que Nadia houvesse visto em sonho. Ela consegue, e, como recompensa recebe 1000 euros. Um belo valor, não? Esse dinheiro será a salvação da pátria, mas como alegria de pobre dura pouco - ok, chega de piadas sem graça sobre pobres - o dinheiro magicamente some. É, some do nada. Tipo: "puf, it's gone. Não resta mais nada a não ser ir para o Brasil morar na casa do primo - gracinha - Yooki. E a partir daí a história se desenrola.

Do outro lado da moeda temos o cara - lindo e maravilhoso - que Nadia desenhou: Adrien Guerra. <3 Guitarrista da banda Reticências, ele é a razão dos delírios de muitas garotas, mas ele não está interessado em nada mais do que uns amassos. Do tipo beeeeeem galinha mesmo.

Chega a ser até meio irritante o modo como esse livro tem coincidências demais. Adrien e Nadia se cruzam - ou quase - tantas vezes que dá vontade de gritar: "Vocês por acaso são cegos?!?!?!". É, na verdade, bastante irritante, mas de uma maneira legal. Haha


Preciso confessar também, que nem só de partes fofinhas e engraçadas Yume é feito. E mais um ponto para a Kamile são as partes tristes que me deixaram à beira de lágrimas. Na verdade só não chorei porque eu segurei muito. Sério, é muito triste. :'(

A única coisa que me impede de dar nota máxima a Yume é o final. Gostei da maior parte do que aconteceu, mas o fim me deixou meio decepcionada. Esperava uma coisa épica, o que em parte se concretizou, mas senti falta do que eu mais esperava - que não pode ser citado, pelo simples motivo de spoilers. Essa parte poderia ter sido melhor explorada, mas mesmo não acontecendo do jeito que eu esperava há um finalização para todos os personagens, o que é bom, de qualquer forma.


Anyway, Yume é o primeiro livro da Kamile Girão e é uma excelente surpresa. Ganhei em um sorteio realizado pela própria autora - <3 - e, com o cursinho e a ressaca literária que me pegou de jeito no meio do ano passado, acabei deixando de lado. O que foi uma pena, porque Yume é realmente ótima e uma gracinha. Os personagens são cativantes e a leitura flui muito bem, já que os capítulos são curtos e você fica naquela história de "só mais um capítulo". Confesso, que por culpa desse livro, quase dormi nas aulas de espanhol, filosofia, física, geografia, matemática... Enfim, fui dormir lá pelas 2 da manhã porque perdia a noção do tempo.

Se você está a procura de um livro super fofinho, com partes emotivas e um tanto quanto sonhador - ah, trocadilhos! - se jogue na leitura de Yume. Bem, na verdade é meio difícil agora, já que o livro foi esgotado. Mas quem sabe não sai uma nova edição em breve? Cruzem os dedos. :)


17 de mar de 2013

Recomendo #11 - A Rocket To The Moon


Hey!

COMO ASSIM você nunca ouviu falar de A Rocket To The Moon? Ok, eu também nunca tinha ouvido falar deles até semana passada, mas isso não quer dizer que eles não são incríveis.

ARTTM - A Rocket To The Moon para quem não se situou - é uma banda de rock americana composta por quatro homens. Não, o vocalista não é bonito nem bonitinho, e também não achei muita graça nos outros componentes da banda, mas a combinação deles é p-e-r-f-e-i-t-a!

Juntos desde 2006, eles possuem 4 cds. Dois independentes e dois com a mesma gravadora de Paramore. O primeiro com a gravadora é o On Your Side e o segundo é Wild and Free que sai agora, dia 26 de março. <3

Os cds gravados de forma independente são Greetings From EP e That Old Feeling EP e mesmo não sendo com gravadoras são #incríveis.

Separei para vocês as minhas músicas favoritas de cada um dos cds. <3


  • Greetings From EP - 2008:
♥ Favoritas:

♥ Vale a pena escutar ainda:
  • On Your Side - 2009:
♥ Favoritas:

♥ Vale a pena escutar ainda:



  •  That Old Feeling - 2012:
♥ Favoritas:

♥ Vale a pena escutar ainda:



  •  Wild and Free - 2013:
♥ Favorita:
Ever Enough

É, só tem uma favorita, até porque só foi divulgada essa música até agora - estou escrevendo esse post no dia 10 - mas é uma das minhas favoritas de todos as músicas da banda. 

E já que só tem essa música, aí em baixo está o clip lindo lindo dela. É com a Debby Ryan. <33





------------------------------------

Espero que gostem muiiito dessa banda, porque eles são muito bons! Me contem o que acharam, ok? :)


16 de mar de 2013

Entre aspas: Querido Ex-Namorado



Um sorriso pode esconder tudo que sentimos. Apenas por estar ali. Mas quando existem pessoas especiais ao seu lado, o problemas tornam-se suportáveis. Não se resolvem sozinhos, mas pelo menos sabemos que existe alguém para nos apoiar.

Ele se foi a muito tempo. Você se foi a muito tempo... Tempo demais. Algo praticamente imensurável. Algo que faz um buraco abrir-se no meu coração toda vez que penso a respeito.

Sabe, às vezes sinto sua falta mais do que imagina. As vez que brigamos, as vezes que rimos apenas por rir. Fazem falta.

Mas o tempo passa, o coração se recupera... Ou não. Aquela vez que tudo deu errado eu sabia que só você poderia me consolar, mas já não podia contar com você. Se arrependimento matasse...

Nós crescemos, amadurecemos. Um  mais do que o outro? Os dois são igualmente maduros? Ou somos tão infantis quanto a 10 anos atrás? Eu não sei dizer.

Claro, a vida nos ensina com vários tombos, tapas na cara e socos no estômago o que perdemos. O que eu perdi. Na época eu não sabia o que aconteceria a seguir. Estava perdida. Ainda não me encontrei.

Não parece, mas já se foram 2 anos. Anos que não o vejo. Anos que não posso ser consolada por você. Anos... Provavelmente você me esqueceu, se esqueceu do que tivemos... É!

Eternamente condenada a me arrepender. Será que um dia voltaremos a nos falar de novo e riremos das besteiras que dissemos um para o outro aquela vez que brigamos? Só o tempo dirá.

Um dia você vai se recordar e vai sorrir assim como eu sorrio agora.

Um dia.

O destino não é tão cruel quanto parece. Eu sei que não. Eu espero que não.

Saiba, que apesar de tudo, sempre o amei. Meu ex-melhor amigo. Meu ex-namorado.

Um dia...

Da sua ex-namorada.


Lançamentos de Março: Novo Conceito

Hey!

Mais um post de lançamentos. Dessa vez da Editora Novo Conceito. A data prevista para todos os livros é dia 20. :)

Em Busca de um Final Feliz
Katherine Boo

Em Busca de um Final Feliz, de Katherine Boo, é um livro brilhantemente escrito. Através de uma forte narrativa, descobrimos como é o dia a dia dos moradores de Annawadi, uma favela à sombra do elegante Aeroporto Internacional de Mumbai, na Índia.
A história de seus habitantes nos faz rir e chorar, porque “o que é celebrado neste livro não é o que poderíamos chamar toscamente de ‘o encanto da lama’, mas a riqueza das pessoas que — para o bem e para o mal — compõem um tronco social que está cada vez mais presente no nosso mundo moderno”. (Zeca Camargo, em prefácio a esta edição).
O leitor vai se apaixonar por Sunil Sharma, o menino catador de lixo que quer ficar rico, por Manju, a moça mais bonita da favela, que quer ser professora, e até pela tresloucada Fátima, a Perna Só, que só quer um pouco de atenção.

 Sonhe Mais
Jai Pausch

Jai Pausch passou por um trauma: a perda do marido para um câncer de pâncreas. A enfermidade de Randy Pausch também destruiu as verdades e as certezas em que Jay acreditava. Pega de surpresa pela doença, que avançou rapidamente, Jay Pausch precisou inverter suas prioridades. Acostumada a cuidar da família, percebeu que aquele era, também, o momento de cuidar de si mesma, porque, do contrário — caso fraquejasse —, sua família não sobreviveria. E, apesar de todas as alterações pelas quais passou, foi capaz de registrar a maior parte de suas experiências, dúvidas e medos.
Este registro acabou se constituindo num relato vigoroso sobre como a morte muda o relacionamento entre as pessoas e sobre como é possível sobreviver, passo a passo, a essas mudanças.
Sonhe Mais é referência para todos os que estão vivendo uma fase de transição e é leitura obrigatória para aqueles que passaram, ou estão passando, por um momento de dor.

A Pousada Rose Harbor
Debbie Macomber

A busca por um novo começo pode levar a grandes revelações. Jo Marie Rose decide comprar uma pequena pousada, como forma de superar a morte do marido. Mal sabe ela que as surpresas que a esperam nessa nova empreitada. Seu primeiro hóspede é Joshua Weaver, que voltou para casa para cuidar de seu padrasto doente. Os dois nunca se conheceram pessoalmente e Joshua tem alguma esperança de que possam conciliar suas diferenças. No entanto, uma habilidade de Joshua há muito perdida prova que o perdão nunca está fora de alcance e que o amor pode florescer onde menos se espera.
A outra hóspede é Abby Kincaid, que retorna a Cedar Cove para comparecer ao casamento do irmão. De volta pela primeira vez em 20 anos, ela quase deseja não ter ido, devido às memórias trazidas pela pitoresca cidade. E conforme Abby se reconecta com sua família e seus velhos amigos, percebe que só pode seguir em frente se permitir-se verdadeiramente a isso.

As Violetas de Março
Sarah Jio

Emily Taylor é uma mulher jovem e escritora de sucesso, mas não gosta muito de seu próprio livro. Também tem um casamento que parece ideal, no entanto ele acabará em divórcio.Sentindo que sua vida perdeu o propósito, Emily decide fazer as malas e passar um tempo em Bainbridge — a ilha onde morou quando menina — para tentar se reorganizar.
Enquanto busca esquecer o ex-marido e, ao mesmo tempo, arrumar material para um novo — e mais verdadeiro — livro, um antigo colega de escola e o namorado proibido da adolescência tornam-se seus companheiros frequentes. Entretanto, o melhor parceiro de Emily será um diário da década de 1940, encontrado no fundo de uma gaveta.
Com o diário em mãos, Emily sentirá o estranhamento e a comoção causados pela leitura de uma biografia misteriosa que envolve antigos habitantes da ilha e que tem muito a ver com sua própria história.
Assim como as violetas que desabrocham fora de estação para mostrar que tudo é possível, a vida de Emily Taylor poderá tomar um rumo improvável e cheio de possibilidades.




Playlist para o fim de semana




Ever Enough - A Rocket To The Moon: Quem me acompanha pelo Twitter sabe que a descoberta da semana foi essa banda. A música deles já virou até post por aqui - vai ao ar no sábado *-* - e Ever Enough é uma gracinha de clipe e letra. Vale super a pena escutar. <3


Back to Life - 30H!3: Clipe super engraçado e música ótima, não precisa de mais nada para me conquistar. Então, corra e acrescente Back To Life à sua playlist. <3 Detalhe: o final do clipe é extremamente hilário! haha



22 - Taylor Swift: Porque eu sou óbvia demais... Então, não existe motivo algum para 22 estar na playlist além do fato de ser uma música nova da Taylor. <3



It's a Beautiful Day - Michael Bublé: O clipe é visualmente lindo! Enquanto Michael canta ele interage com a letra. Morri de amores pela música, mesmo me passando a leve impressão de que tem mais country do que deveria ter.


Still Into You - Paramore: Não sou lá muito fã de Paramore, mas adorei o jeito que o clipe foi gravado, e a música acabou me agradando, apesar de tudo. Vale a pena escutar e cair de amores pelas sombras durante todo o vídeo. <3

13 de mar de 2013

Filme - 4 filmes mais nonsense da vida


Hey!

Não são todas as produções Hollywoodianas que dão certo. Algumas, por mais que o elenco seja excelente não saem lá grandes coisas. E algumas ainda, tem um roteirista um tanto quanto perturbado, e bem... O resultado são filmes um pouco - leia-se muito - nonsense.

Foi então que resolvi contar para vocês os 4 filmes mais sem pé nem cabeça que eu já assisti. Enjoy!

  • 4° lugar: Motoqueiro Fantasma 2 - Espírito de Vingança:

Ghost Rider: Spirit of Vengeance 
EUA, 2012 - 95 minutos.
Ação.
Direção: 
Mark Neveldine e Brian Taylor.
Roteiro:
Scott M. Gimple, Seth Hoffman, David S. Goyer.
Elenco: 
Nicolas Cage, Idris Elba, Violante Placido, Ciarán Hinds, Johnny Whitworth, Fergus Riordan, Christopher Lambert.

Sinopse: Nove anos após se transformar no temido Motoqueiro Fantasma, Johnny Blaze se refugia no leste europeu para tentar controlar sua maldição ou, pelo menos, deixá-la escondida da maioria das pessoas. Ele leva uma vida solitária, até ser obrigado a entrar em ação ao ser chamado por um culto para salvar a vida de Danny, de apenas 10 anos. O garoto está ameaçado pelo Diabo, que deseja encarnar em seu corpo.

É muito bom quando o segundo filme segue o padrão do primeiro, né? Obrigada, Marvel!
Pois é, após um filme lindamente construído, onde até mesmo a abertura é completa e totalmente perfeita, a Marvel me aparece com esse filme mais meia boca impossível.
Tenho duas teorias possíveis para esse filme: 1ª: o primeiro filme não seguia os padrões da HQ e tentaram compensar com esse - o que não deu muito certo. 2ª: o primeiro era uma linda adaptação da HQ e resolveram zuar com a cara dos fãs e  fizeram essa coisa nonsense com o segundo filme.
Além de mudaram completamente tudo, - desde o modo como ele assina o pacto até o cara que faz o Diabo - os roteiristas ainda mudaram a forma de transformação do Johnny. O que me deixou extremamente frustada com Motoqueiro Fantasma 2.

  • 3° lugar: O Espantalho:
Husk
EUA, 2011 - 83 minutos.
Terror, Drama.
Direção:
Brett Simmons.
Roteiro:
Brett Simmons, Brett Simmons.
Elenco:
Devon Graye, Wes Chatham, C.J. Thomason, Tammin Sursok, Ben Easter, Josh Skipworth, Nick Toussaint.

Sinope: Cinco amigos em viagem de fim de semana, se vêem perdidos em meio a uma área de fazendas quando corvos começam a atacar seu carro. Logo se dão conta de que os campos de milho estão habitados por espatalhos que se reproduzem matando e forçando suas vítimas a unirem-se a eles. 


Que fique claro que não tenho problema nenhum com filmes de terror, ok? Mas pelo amor de Deus, cadê o cérebro desses roteiristas de hoje?
Assisti esse filme inteiramente por acaso. Estava olhando os filmes que iriam passar naquela semana e me interessei por esse. Mas como tenho um pouquinho de medo de assistir de noite - sozinha então nem se fala - eu resolvi assistir antes do almoço de domingo. Mas quando meu pai chegou no quarto eu estava com aquela cara de "Ahm?". É, pois é!
Até que a história é bem legalzinha, o problema são as filmagens. A ideia é ótima, mas as coisas principais aconteciam de noite, no meio do milharal. Além de ser claustrofóbico ver os personagens andando sem rumo, a iluminação não ajuda, e quando você percebe o cara sumiu. É!

  • 2° lugar: 11-11-11:
11-11-11
EUA, 2011 - 100 minutos.
Suspense, Terror.
Direção: 
Darren Lynn Bousman.
Roteiro:
Darren Lynn Bousman.
Elenco:
Timothy Gibbs, Michael Landes, Wendy Glenn, Lluis Soler, Ángela Rosal, Brendan Price, Salomé Jimenez, Benjamin Cook, Montse Alcoverro.

Sinopse: Joseph Crone é um famoso escritor que se muda para Barcelona após a trágica morte de sua esposa e filho. Lá ele encontra o irmão Samuel e o pai, Richard, que está à beira da morte. Repentinamente Joseph passa a ser atormentado por constantes aparições dos números 11-11, sempre em acontecimentos inexplicáveis. Ele passa a investigar seu significado e logo descobre que se refere a uma data, 11/11/11, na qual um portal se abrirá e uma perigosa força sobrenatural será libertada.

Qual o problema das pessoas com datas que repetem números? É, eu também não sei.
Por algum motivo o diretor de Jogos Mortais achou que seria uma boa ideia fazer um filme onde tudo - e quando eu digo tudo, quero dizer t-u-d-o mesmo - tenha uma relação com o número 11.
Com um roteiro bem viajado, esse filme conta a história de um autor que não tem mais inspiração depois que sua esposa e filho morreram em um acidente. E desde então a vida dele só tem relação com o estranho número 11. (?)
Destacando o motivo para que ele seja nonsense: nos primeiro minutos já tem um cômodo com a porta fechada e do nada aparece o demônio lá dentro. Tipo, WHAT?
Terminei de assistir esse filme com o sentimento de "Peraí, o que aconteceu mesmo?"

  • 1° lugar: A Caixa:

The Box
EUA, 2009 - 115 minutos.
Suspense, Ficção Científica
Direção:
Richard Kelly.
Roteiro:
Richard Kelly.
Elenco:
Cameron Diaz, James Marsden, Frank Langella, James Rebhorn, Holmes Osborne, Sam Oz Stone, Gillian Jacobs.

Sinopse: Norma Lewis é uma professora casada com Arthur, um engenheiro que trabalha para a NASA. Eles têm um filho e levam uma vida tranquila no subúrbio. Um dia surge um misterioso homem, que lhes propõe a posse de uma caixa com um botão. Caso seu dono aperte o botão ele ficará milionário, mas ao mesmo tempo alguém desconhecido morrerá. Norma e Arthur têm 24 horas para decidir se ficarão ou não com a caixa.

A primeira vez que assisti A Caixa, estava passando mal e dormi no meio do filme. Quando terminei pensei comigo: "Não entendi nada porque dormi e sonhei com o que aconteceu. Vou assistir de novo.".
Mas não adiantou muito. Assisti de novo e a mesma sensação de "WHAT?" pairava no ar. Até mais ou menos a metade não é muito nonsense, mas o fim... Deus, eu não entendi nada! Simplesmente o filme mais sem noção de todos os tempos.


12 de mar de 2013

Lançamentos de março: Galera Record

Hey!

Finalmente, consegui ajeitar do jeito que eu queria as postagens de lançamentos. Então, a partir de hoje, postarei separado por editora, ok? E como são muitas, algumas serão juntas em um mesmo post, outras em posts separados mas na mesma semana. Espero que assim fique mais fácil e organizado.

Anyway, aqui vão os lançamentos da Galera Record, que por sinal são super lindos! :)

P.S.: Desculpem pela má qualidade da imagem das capas. Assim que encontrar algumas com qualidade melhor eu atualizo o post.

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista
Jennifer E. Smith

Hoje deve ser um dos piores dias da vida de Hadley Sullivan, 17 anos de idade. Tendo perdido seu vôo, ela está presa no aeroporto JFK e chegará tarde para o segundo casamento de seu pai, que está acontecendo em Londres, e envolve uma madrasta que Hadley nunca sequer conheceu. Então conhece o garoto perfeito na área apertada do aeroporto, esperando. Seu nome é Oliver, ele é britânico, e ele está sentado em sua linha. Uma longa noite no avião passa em um piscar de olhos, e Hadley e Oliver perdem o controle de si mesmos no caos do aeroporto quando chegam. Pode o destino intervir para reuní-los mais uma vez? Os caprichos do destino e as casualidades da vida são o motor deste emocionante romance sobre laços familiares, segundas oportunidades e primeiros amores. A história de Hadley e Oliver é um bálsamo para quem gosta de acreditar que o verdadeiro amor existe. E que aparece nas nossas vidas quando menos esperamos.

Hollywood é como a escola
Zoey Dean

Taylor Henning está prestes a realizar seu sonho ao ingressar na indústria cinematográfica. Mas quando logo na primeira semana nossa heroína nerd encontra desafios maiores do que aprender a mexer na máquina da Xerox - agentes inescrupulosos? Uma primeira assistente nem um pouco interessada em dividir o território? Executivos de criação prontos para roubar ideias e créditos? - Taylor entende que vai precisar de ajuda profissional. E como Hollywood é mesmo igualzinha à escola, ninguém melhor do que Quinn Whitaker para ajudá-la. Ela tem 16 anos, é filha da chefe e superpopular entre as It Girls!


Floresta Sombria
Matt Haig

Samuel Blink e a irmã, Martha, estão no banco de trás do carro dos pais. Samuel nem sequer suspeita que um tronco de árvore gigante esteja prestes a cair do céu e transformar sua vida para sempre. Ao se mudarem para a casa da Tia Eda, na distante e desconhecida Noruega, automaticamente ficam proibidos de se aproximar da floresta que fica nos fundos do terreno. Nosso futuro herói não tem a menor ideia de que sua irmã vai resolver dar um passeio justamente por lá. Como ele vai resgatar Martha dessa tal de Floresta sombria, também não se sabe.



Exclusivo #4 - Confissões
Kate Brian

Alerta de spoiler! Skoob do primeiro livro.

Após a morte de Thomas Pearson, namorado de Reed Brennan, e a prisão de Josh Hollis pelo crime, todas só querem esquecer o crime e pensar na próxima balada. Ou na próxima edição da Vogue. Todas... menos Reed Brennan. Afinal, ela acaba de descobrir que está perdidamente apaixonada por Josh. E disposta a tudo para provar sua inocência. Será que ela vai conseguir? E o mais importante: será que ela vai sobreviver às investigações?



Garotos, garotas e outros materiais explosivos
Rosalind Wiserman

Rosalind Wiseman mergulha no mundo das garotas e analisa tudo o que diz respeito à adolescência - da relação das jovens com a fofoca e os namorados até as panelinhas típicas dessa fase. Um romance divertido e inovador sobre amizade, traição e o que os jovens são capazes de fazer para se sentirem aceitos. Enquanto navega entre as difíceis águas do oceano estudantil - nerds, esportistas, populares -, Charlie Healey aprende cada vez mais sobre si mesma, o que é certo e o que é errado. 




11 de mar de 2013

Resenha - O Temor do Sábio

 O Temor do Sábio

Patrick Rothfuss

Alerta de Spoiler! Se você quiser saber mais sobre essa série, leia a resenha do primeiro livro O Nome do Vento. Ou você pode ler os últimos parágrafos dessa resenha, onde eu dou minha opinião sobre o livro e os personagens. :)
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2011
ISBN: 9788584041327
N° de páginas: 960
Tradutor: Vera Ribeiro
Comprar: Ricardo Eletro/Travessa
Nota: ♥♥♥♥♥ + favorito

Sinopse:

Quando é aconselhado a abandonar seus estudos na Universidade por um período, por causa de sua rivalidade com um membro da nobreza local, Kvothe é obrigado a tentar a vida em outras paragens.
Em busca de um patrocinador para sua música, viaja mais de mil quilômetros até Vintas. Lá, é rapidamente envolvido na política da corte. Enquanto tenta cair nas graças de um nobre poderoso, Kvothe usa sua habilidade de arcanista para impedir que ele seja envenenado e lidera um grupo de mercenários pela floresta, a fim de combater um bando de ladrões perigosos.
Ao longo do caminho, tem um encontro fantástico com Feluriana, uma criatura encantada à qual nenhum homem jamais pôde resistir ou sobreviver – até agora. Kvothe também conhece um guerreiro ademriano que o leva a sua terra, um lugar de costumes muito diferentes, onde vai aprender a lutar como poucos.
Enquanto persiste em sua busca de respostas sobre o Chandriano, o grupo de criaturas demoníacas responsável pela morte de seus pais, Kvothe percebe como a vida pode ser difícil quando um homem se torna uma lenda de seu próprio tempo.
Quando li O Nome do Vento - resenha aqui - fiquei simplesmente encantada com a escrita do Patrick. O mundo que ele criou. Cada local, cada personagem. Até mesmo os 4 ou 5 tipos diferentes de moedas. Enfim, cada mínimo detalhe me fez amar ainda mais a leitura.

Não tinha nenhum receio a respeito do segundo livro. A única coisa que intimida é o tamanho. 960 páginas não são para qualquer um. Além disso, não é qualquer autor que consegue manter o ritmo em dois livros, que juntos somam quase 2 mil páginas. E o Patrick conseguiu!

Kvothe continua sendo encantador. Até mais ou menos a página 250 você lê, gosta da história mas nada te prende - a não ser o personagem principal. Mas, de uma maneira praticamente magnética e uma tanto súbita, a vida de Kvothe dá um giro de 180 graus e não conseguimos mais largar o livro. De repente, quase mil páginas não são suficientes para contar tudo o que você quer saber. Ao chegar na última página, o gosto de quero mais é evidente.

"- Tome cuidado com o que fizer por lá - disse, com expressão ansiosa. - Lembre-se de que há três coisas que todo sábio tem: o mar na tormenta, uma noite sem luar e a ira de um homem gentil."
Página 361.
Por mais que a vida de Kvothe na Universidade seja minha parte favorita, a situação financeira do personagem chega a ser irritante. Ele conta moedas quase como um mendigo, e isso dá pena também. Ao mesmo tempo que ele tem algumas moedas no bolso, as perde e tem que apertar o cinto novamente. E esse é mais um motivo que o leva a deixar a Universidade por um ano.

Mais uma vez uma foto do lindo do Kvothe! <3
Em busca de uma vida melhor, Kvothe viaja até Severen. Sua missão é encontrar o maer Alveron, a quem prestará seus serviços. A medida que nosso arcanista ruivo - lindo de morrer - vai conquistando a confiança do maer, ele melhora de vida, ganhando roupas e um quarto melhor. É então que recebe duas missões. A primeira é escrever músicas para uma jovem a pedido do maer. E após um tempo recebe sua segunda missão: viajar com um grupo de pessoas, afim de encontrar e matar os bandidos que estão roubando os impostos do rei nas terras de Alveron. E nessa viagem ele passa por várias coisas. Algumas boas, outras ruins. Como por exemplo, conhece Feluriana - um ser um tanto mitológico -, viaja até Haert para resolver alguns "problemas"... Até que finalmente volta até a corte de Alveron.

Digamos que O Temor do Sábio possa ser dividido em histórias ou fases da vida de Kvothe. Cada uma dessas "partes" é intercalada com um capítulo interlúdio, onde é narrado, em terceira pessoa, o que está acontecendo na pousada Marco do Percurso durante as pausas na narrativa de Kvothe para o Cronista. Começando com Kvothe na Universidade, depois sua vida na corte do maer, passando pela viagem que faz para recuperar os impostos de Alveron, suas peripécias com Feluriana, em seguida, sua estadia em Haert, voltando à corte do maer e finalmente seu regresso à Universidade - aqui não tem spoilers, ok? Tudo está na sinopse. Ufa! Como esse homem anda.

"- Não era inútil - protestei. - São as perguntas que não sabemos responder que mais nos ensinam. Elas nos ensinam a pensar. Se você dá uma resposta a um homem, tudo o que ele ganha é um fato qualquer. Mas, se você lhe der uma pergunta, ele procurará suas próprias respostas."
Página 545.
Assim como no primeiro livro, por mais que Kvothe se distraia, a razão de sua vida é a busca pelo Chandriano. E eu posso dizer, que dessa vez ele chega bem pertinho. Ele viaja por vários locais, e sempre que pode, está em busca de alguma informação. Chega a ser até um pouco irritante, pelo simples fato de que ele não consegue quase resposta alguma. O Chandriano é considerado por muitos, nada mais do que um conto de fadas para assustar crianças que não querem comer seus legumes.

Os personagens mais uma vez são muito bem construídos. Kvothe, com sua eterna - ou quase - pobreza, nos conquista com seu carisma e seu senso de humor. <3 Cada um dos professores da Universidade tem seu lugar no meu coração, pelo menos cada um dos que é agradável com Kvothe. Deles, o meu favorito continua sendo Elodin, o nomeador-mor com um parafuso - ou muitos deles - solto. Mas até mesmo Lorren, que não ia muito com a cara do arcanista ruivo, agiu bem melhor com ele nesse livro. Eu tinha um ódio especial apenas com Hemme, o professor puxa-saco do Ambrose e o próprio Ambrose, o rico metido a besta, que lidera a comitiva "Nós odiamos o Kvothe". Porém, nas últimas páginas acontece uma coisa que... Bem, só lendo para saber que é o alvo do meu ódio agora.

Mais uma vez, a Editora Arqueiro está praticamente impecável com a revisão. Excluindo alguns errinhos de digitação, é claro. A diagramação é bem espaçada, porém a letra é menor do que a da maioria dos livros. Nada ilegível, mas é menor. Mas, o que eu realmente preciso destacar é essa capa linda! Segue o padrão da primeira, alterando apenas a cor base. É mais bonita ainda ao vivo. <3

Concluindo, O Temor do Sábio é ainda melhor do que O Nome do Vento. As viagens de Kvothe por Quatro Cantos - esse é o nome do local onde ele vive - são extremamente bem narradas. Tem a quantidade perfeita de descrição, com mais romance - muito mais romance - do que o primeiro livro. Não existe outra palavra para defini-lo, a não ser perfeito! É o tipo de leitura que vale muito a pena. Você que ainda não leu, pode sair correndo para comprar O Nome do Vento a-g-o-r-a!